Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Financiamento Estudantil

Primeiro contrato do P-Fies é assinado em Brasília

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quinta, 05 Abril 2018 14:04
Victoria Dopazo (Ministério da Integração), Isabella Vieira de Lima (estudante), Pedro Pedrosa (FNDE) Victoria Dopazo (Ministério da Integração), Isabella Vieira de Lima (estudante), Pedro Pedrosa (FNDE)

Nova modalidade permite que mais estudantes sejam alcançados pelo programa

Uma parceria entre o Governo Federal, Ministério da Educação e Ministério da Integração Nacional permitiu a assinatura nesta quarta-feira, 4, no Palácio do Planalto, do primeiro contrato da modalidade 2 do Novo Fundo de Financiamento Estudantil – Fies. Gerenciado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o programa vai garantir em 2018 mais 310 mil vagas financiadas em instituições de ensino superior particulares de todo o Brasil.

Estudante do primeiro semestre de Direito no Centro Universitário Sete de Setembro, em Fortaleza (CE), Isabella Vieira de Lima, 19 anos, é uma das 150 mil pessoas que serão beneficiadas pela nova modalidade do P-Fies. Em cerimônia que contou com a presença do Presidente da República, Michel Temer, a jovem assinou o primeiro contrato e falou da satisfação em poder ingressar no ensino superior.

“É uma oportunidade ímpar conseguir realizar esse sonho”, contou a estudante que já havia tentado ingressar no Fies, mas só obteve sucesso neste ano, após a implantação do Fies 2. Com foco regional, a nova modalidade é assegurada por recursos dos Fundos Constitucionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e atenderá alunos com renda de até cinco salários mínimos.

De acordo com Pedro Pedrosa, Diretor de Gestão de Fundos e Benefícios do FNDE, a inclusão de estudantes que antes não tinham chance de ingressar em uma universidade pelo Fies foi um dos maiores ganhos do programa. “Uma das maiores contribuições das modalidades 2 e 3 foi conseguir uma nova fonte de recursos para alcançar alunos que estavam fora do Fies e agora podem realizar seu sonho da graduação”, destacou o Diretor.

Esta é a primeira vez que o Fies vai receber investimento dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento, que são responsabilidade do Ministério da Integração Nacional. Mais de R$ 1 bilhão dos fundos vão fortalecer a linha de financiamento a partir do próximo semestre, além de estarem garantidas melhores condições aos estudantes, como juros baixos e longo prazo de quitação. 

Victoria Dopazo, Diretora do Departamento de Prospecção, Normas e Análise dos Fundos, do Ministério da Integração Nacional, destaca a importância da parceria. “Educação é uma área nova pra gente. São muitos desafios, mas estamos felizes em poder possibilitar o acesso à educação, principalmente de estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste”, disse a Diretora.

Novo Fies – Com a reformulação do Fies no ano passado, foram implantadas mais duas modalidades no programa, além da primeira, chamada de Fies 1, que traz 100 mil vagas de financiamentos a juro zero para estudantes com renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. Dentro do P-Fies estão o Fies 2, que se estenderá a estudantes que possuem renda per capita de até cinco salários mínimos, com recursos assegurados por Fundos Constitucionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste; e o Fies 3, com cerca de 60 mil vagas, que vai atender ao mesmo público-alvo, mas vai ser operado por instituições financeiras privadas.

Segundo o Secretário Executivo Adjunto do Ministério da Educação, Felipe Sigollo, privilegiar as regiões que mais precisam foi uma das premissas do Ministro Mendonça Filho na reformulação do Fies. “Com esses recursos de cerca de R$ 1,2 bilhões será possível investir na educação e, consequentemente, no desenvolvimento das regiões Norte e Nordeste, que são as que precisam de mais apoio na área educacional”, afirmou.

Fim do conteúdo da página