Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2006

Agenda do Fundescola em Pernambuco prevê melhoria de escolas indígenas e urbanas

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Terça, 18 Abril 2006 00:00

A educação escolar indígena de Pernambuco ganhou nesta terça-feira, 18, dois reforços: o plano de melhoria e modernização da rede física das escolas e a criação do Conselho de Educação Escolar Indígena, que terá entre suas atribuições formular políticas públicas, articular entidades e acompanhar as ações de educação escolar dos dez povos que habitam o estado. Os investimentos nas obras escolares serão de R$ 10,5 milhões, dos quais R$ 6,5 milhões do governo de Pernambuco, R$ 3 milhões do Programa de Apoio à Escola Indígena repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) e R$ 1 milhão do programa Fundo de Fortalecimento da Escola (Fundescola), gerido pelo FNDE.

O plano de modernização da rede vai atingir 29 escolas. De acordo com dados do Censo Escolar de 2005, Pernambuco tem 119 escolas indígenas onde estudam 9.437 alunos assim distribuídos: 1.910 na educação infantil; 5.049 nos anos iniciais do ensino fundamental; 537 nos anos finais da educação fundamental; 79 no ensino médio; e 1.882 na educação de jovens e adultos.

O anúncio da construção e melhoria de escolas indígenas e urbanas com recursos do Fundescola foi feito durante solenidade no Palácio das Princesas, sede do governo pernambucano, com a presença do governador Mendonça Filho, do presidente do FNDE, Daniel Balaban, e do diretor da Diretoria de Programas da autarquia, Leopoldo Alves Júnior.

Escola Ativa - Na ocasião, foi anunciada a agenda do Fundescola em Pernambuco no ano de 2006. Além dos investimentos na reestruturação da rede física, o Fundo vai iniciar dois projetos pilotos no estado. Um será a adoção da metodologia Escola Ativa, com salas multisseriadas, em escolas indígenas. Nas escolas rurais com classes multisseriadas (de 1a a 4a série), a experiência reúne auto-aprendizagem, trabalho em grupo, ensino por meio de módulos, livros didáticos especiais, participação da comunidade, capacitação e reciclagem permanente dos professores e acompanhamento constante de alunos e de docentes. Este projeto piloto está sendo implantado em quatro estados - Amazonas, Ceará, Paraíba e Pernambuco - e será avaliado em 2007. Dependendo dos resultados, a experiência poderá ser expandida para todo o país.

O outro projeto piloto servirá para capacitar professores e alunos na área de Ciências, com o fornecimento de material pedagógico e a utilização de kits para a aprendizagem.

Fim do conteúdo da página