Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2009

Monitores da merenda escolar fazem capacitação

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Segunda, 10 Agosto 2009 00:00

ASCOM-FNDE (Brasília) – Técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação estão na Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, de hoje até quarta-feira, 12, para capacitar monitores de Centros Colaboradores em Alimentação e Nutrição do Escolar (Cecanes) sobre os mais recentes avanços na merenda escolar, alcançados pela Lei n. 11.947/2009 e pela Resolução n. 38 do mesmo ano.

Entre as novidades na execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), destacam-se o uso de pelo menos 30% dos recursos federais na compra de produtos da agricultura familiar, parâmetros nutricionais para a elaboração dos cardápios e prazos estendidos para a prestação de contas.

O desafio de assegurar uma educação alimentar e nutricional como um direito de todo aluno da educação básica pública é a principal diretriz dessa nova fase do programa, na opinião da coordenadora técnica do FNDE, Eliene Ferreira de Sousa. “A nova lei do Pnae é um marco na segurança alimentar, mas é preciso que pais, alunos e a sociedade em geral reconheçam a alimentação escolar como um direito e cobrem por isso”. Segundo Eliene, são vários os canais para a população denunciar irregularidades, como a ouvidoria e a auditoria do Fundo, o Ministério Público, a Controladoria Geral da União e os Conselhos de Alimentação Escolar.

Capacitação
- Cerca de 40 monitores de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Amazonas presentes no evento irão multiplicar o conhecimento adquirido na capacitação diretamente a nutricionistas, merendeiras, conselheiros e gestores públicos municipais. É o caso do representante da Secretaria de Articulação de Políticas Públicas do Amazonas (Searp), Ricardo Ribeiro. Ciente da importância da atuação integrada com o FNDE, ele chama a atenção para as particularidades da região Norte. “A logística da merenda em nosso estado é bastante complicada, o que acarreta um custo elevado, sem falar na alta concentração de comunidades indígenas. Mas essa aproximação com o FNDE, sem dúvida, trará resultados positivos”, afirma.

Para levar as novidades do Pnae às escolas públicas do Amazonas, a Searp dividiu o estado em 11 blocos, agrupando municípios conforme rotas específicas. “Existem cidades distantes cinco a sete dias de barco. Assim, marcamos as capacitações em pontos centrais que as unam”. Segundo Ribeiro, 840 agentes envolvidos com a merenda serão formados no estado, que já conta com um programa de regionalização do cardápio escolar.

Cecanes
- Os centros colaboradores decorrem de parcerias firmadas entre o FNDE e instituições federais de ensino superior. Além de dar apoio técnico e operacional à gestão do Pnae nos estados e municípios, realizam pesquisas, promovem capacitação e desenvolvem projetos relacionados à alimentação e à nutrição dos estudantes das redes públicas de ensino. As universidades parceiras do Fundo são as da Bahia (UFBA), do Paraná (UFPR), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de São Paulo (Unifesp), de Brasília (UnB), de Ouro Preto (Ufop), de Pernambuco (UFPE), de Santa Catarina (UFSC) e de Goiás (UFG).

Assessoria de Comunicação Social do FNDE

Fim do conteúdo da página