Imprimir esta página
2007

Programa Escola Aberta modifica a vida de alunos e da comunidade

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quinta, 31 Maio 2007 00:00

ASCOM-FNDE (Brasília) – Durante palestra realizada nesta quinta-feira, 31, o secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Ricardo Henriques, falou sobre educação e cidadania aos participantes do Encontro Nacional do Programa Escola Aberta, que ocorre em Brasília até sábado, 2 de junho. O evento reúne cerca de 80 coordenadores municipais e estaduais e representantes de instituições que participam do Fórum das Estatais.

Para Ricardo Henriques, é importante a escola incorporar ao aprendizado um olhar para a diversidade. "Hoje, a escola reproduz a desigualdade porque desconsidera a diversidade. Ela padroniza os conteúdos e não cria nos estudantes uma expectativa transformadora da realidade." O programa Escola Aberta tenta redefinir esses conceitos.

Na opinião do coordenador do programa em Mato Grosso do Sul, Gandhi Winckler, o que faz o sucesso do Escola Aberta é a participação da comunidade. "A vivência da comunidade na escola faz toda a diferença. Somente ouvindo as expectativas e demandas é possível integrar as diferentes visões", disse.

A partir de junho, o município de Suzano (SP) integrará o Escola Aberta na sua rede de ensino. As ações ainda não foram definidas, mas o representante da secretaria municipal de Suzano, Valdecir Câmara, diz que a participação da comunidade é fundamental para definir as ações. Para ele, "a alma do projeto é a construção do ambiente escolar com o olhar da comunidade. O programa aproxima a produção local em torno da escola a partir de protagonistas da própria sociedade". O encontro nacional termina no sábado, 2, com o Festival Escola Aberta, no Parque Sarah Kubitschek.


Manoela Frade