Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Alimentação escolar

Projeto com hortas promove hábitos alimentares saudáveis em escolas de Belém

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quinta, 21 Novembro 2019 13:10
Projeto com hortas promove hábitos alimentares saudáveis em escolas de Belém

Incentivar o hábito de ingerir frutas, legumes e verduras é essencial para que crianças se desenvolvam adequadamente e se tornem adultos saudáveis. Essa preocupação com a educação alimentar já na primeira infância é um dos pilares do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que busca oferecer refeições saudáveis e equilibradas, diariamente, para cerca de 41 milhões de estudantes das redes públicas de ensino.

Operacionalizado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que completa 51 anos nesta semana, e coordenado localmente pelas secretarias de educação, o PNAE tem uma série de exemplos de sucesso na gestão dessa política pública voltada para o desenvolvimento físico e cognitivo das crianças brasileiras. A Prefeitura Municipal de Belém, por exemplo, desenvolve o Projeto Hortas Escolares Pedagógicas há seis anos. As hortas atuam como instrumento ideal para educação alimentar e nutricional dos alunos da rede municipal.

A Escola Municipal de Educação Infantil e Fundamental Castanheiras aderiu ao projeto recentemente. Lá os educadores utilizam a horta como ferramenta para auxiliar na aprendizagem. “Em nossa escola inserimos o projeto horta com a intenção de oportunizarmos aos nossos educandos gostos e habilidades diferentes das que eles estão acostumados, pois a horta consegue criar nas crianças um sentimento de cuidado com a alimentação e a natureza”, destaca a diretora da escola, Marja Carolina Soares.

Ela também ressalta que a iniciativa estimula a alimentação saudável e amplia o conhecimento sobre alguns vegetais que os estudantes não têm hábito de consumir, já que os alimentos colhidos na horta são utilizados na merenda escolar. “As crianças aprendem muito sobre uma boa alimentação e, como acompanham o plantio e crescimento das hortaliças e vegetais, eles sentem vontade de experimentar, passando a desenvolver um novo hábito alimentar. Esses hábitos também alcançam as famílias, pois trabalhamos junto com os pais no desenvolvimento do projeto”, explica.

Para a Diretora de Ações Educacionais do FNDE, Karine Santos, os resultados obtidos vão ao encontro das diretrizes do programa, sobretudo a de Educação Alimentar e Nutricional. “Entre os benefícios alcançados com as hortas escolares se destacam a troca de conhecimentos, a produção e consumo de alimentos naturais, inserção de assuntos na pauta da comunidade escolar como a economia doméstica e a influência nas escolhas alimentares dos estudantes”, destaca.

A nutricionista municipal Carmem Brandão confirma que acompanhar o crescimento das hortaliças é fundamental para estimular hábitos saudáveis de alimentação. “O projeto traz benefícios aos alunos no que diz respeito ao conhecimento do valor nutricional das hortaliças desde cedo, de acordo com seu ciclo de estudos, bem como a história de cada uma delas, o que se reflete na aceitabilidade e no maior consumo das hortaliças na preparação em que elas são incluídas”, completa.

Abrangência – O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar e nutricional a estudantes de todas as etapas da educação básica pública. O governo federal repassa a estados e municípios recursos suplementares para apoiar a alimentação escolar dos alunos de suas redes de ensino. As transferências são efetuadas em 10 parcelas mensais para a cobertura de 200 dias letivos, conforme o número de matriculados em cada rede. Por meio do Pnae, são servidas mais de 50 milhões de refeições diárias nos 5.570 municípios brasileiros.

 

Fim do conteúdo da página