Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Dinheiro Direto na Escola

PDDE contribui para melhorias do ambiente escolar

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Segunda, 16 Dezembro 2019 15:17
PDDE contribui para melhorias do ambiente escolar

Programa do FNDE auxilia a autogestão das escolas e aprimora a infraestrutura física e pedagógica das unidades de ensino

Reforçar a autogestão escolar e melhorar a infraestrutura física e pedagógica das escolas públicas de educação básica. Esses são os objetivos principais do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), que repassa recursos diretamente para as unidades de ensino para aprimorar o aprendizado e, consequentemente, elevar os índices de desempenho de cada escola.

Coordenado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o programa é um incentivo à autogestão e contribui para que a escola desenvolva suas ações a partir de sua realidade. É o que acontece na Escola Municipal de Ensino Básico Ana Tereza Arcos Krause, localizada na periferia de Cuiabá, capital de Mato Grosso.

Segundo a diretora da unidade de ensino, Olinda Gonçalves, os repasses do PDDE fazem a diferença no dia a dia da escola. “Durante esses anos, com esses recursos, compramos máquinas de xerox, aparelho de ar condicionado, TV, instrumentos para o nosso projeto de musicalização e banda musical, uniformes da banda, jogos pedagógicos, caixas de som e materiais pedagógicos”, ressaltou.

E a escola, para a diretora, influi fortemente junto à comunidade da região. ”Como a escola é localizada em uma periferia, um bairro sem asfalto, a escola é o único diferencial deste bairro, que não oferece nada para as crianças e seus jovens”, afirmou.

A diretora aponta o projeto de musicalização como uma importante ferramenta de formação e de direcionamento dos estudantes da escola, que atende alunos da educação infantil ao 6º ano do ensino fundamental. Mesmo aqueles estudantes que já deixaram a unidade de ensino podem continuar no projeto. É o caso da estudante Emily Cristine, de 13 anos. “Esse projeto foi de fundamental importância no meu desenvolvimento escolar, no meu raciocino lógico, na inclusão social. Hoje eu sei tocar tanto escaleta quanto piano, violão e guitarra. Esse projeto foi importante para mim porque eu descobri que tenho talento e isso está fazendo parte do meu cotidiano. É uma das coisas que mais gosto de fazer”, disse a estudante. 

Amplitude – Segundo a coordenadora do PDDE no FNDE, Raquel Pereira, os recursos repassados podem ser destinados a diversos fins. “O PDDE auxilia a comunidade escolar a desenvolver, com autonomia e celeridade, suas atividades pedagógicas. Também é possível custear despesas com manutenção e pequenos investimentos na estrutura física da escola. Estivemos em uma escola em João Pessoa que custeou a amostra cultural dos alunos com o PDDE, realizando um belíssimo trabalho artístico e cultural”, comentou a coordenadora.

Fim do conteúdo da página