Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2005

Sergipe recebe visita técnica do Promed

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE com informações do Ministério da Educação
  • Quarta, 31 Agosto 2005 00:00

ASCOM-FNDE (Brasília) – Técnicos da Diretoria de Projetos Especiais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) estarão em Sergipe nos dias 1º e 2 de setembro para avaliar o andamento dos convênios do Programa de Melhoria e Expansão do Ensino Médio (Promed) firmados com aquele estado nos exercícios de 2000 a 2004. O encontro se realizará na sede da Secretaria de Educação, à Rua Guttemberg Chagas, 169, no Distrito Industrial, em Aracaju.

Visitas do Promed a todos os estados beneficiários do programa são realizadas semestralmente, a fim de orientar os gestores das secretarias de Educação sobre planejamento, execução, licitações, contratos, prestação de contas dos recursos transferidos e outros procedimentos a serem adotados na execução dos convênios. "A assistência técnica permanente e sistemática tem assegurado melhores resultados e maior eficiência na execução das ações conveniadas pelo programa", afirma o coordenador geral do Promed, Eduardo Manyari. Em agosto, os profissionais já estiveram no Mato Grosso, Espírito Santos e Maranhão.

Promed – O Promed tem por objetivo melhorar a qualidade e a eficiência do ensino médio, expandir sua cobertura e garantir maior eqüidade social. Para isso, suas metas são apoiar e implementar a reforma curricular e estrutural, assegurando a formação continuada de docentes e de gestores de escolas deste nível de ensino; equipar, progressivamente, as escolas de ensino médio com bibliotecas, laboratórios de informática e ciências e equipamentos para recepção da TV Escola; implementar estratégias alternativas de atendimento; criar 1,6 milhão de novas vagas; e melhorar os processos de gestão dos sistemas educacionais dos estados e do Distrito Federal.

O programa tem um orçamento de U$ 220 milhões, sendo 50% de contrato de empréstimo firmado entre o Ministério da Educação e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a outra metade, de contrapartida nacional, sendo U$ 39,2 milhões do Tesouro Nacional e U$ 70,8 milhões dos estados. O contrato com o BID termina em janeiro de 2007.


Repórter: Keula Suniara

Fim do conteúdo da página