Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Alimentação escolar

Representantes de Senegal e Serra Leoa buscam referências na alimentação escolar brasileira

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quarta, 29 Agosto 2018 10:10
Representantes de Senegal e Serra Leoa buscam referências na alimentação escolar brasileira

Líderes de governo dos dois países participaram nesta terça-feira, 28, de intercâmbio de informações no FNDE, em Brasília

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) recebeu nesta terça-feira, 28/8, integrantes das delegações de Senegal e Serra Leoa que vieram ao Brasil com a missão de levar para seus países o modelo brasileiro de implantação e monitoramento da alimentação escolar. Durante a visita ao FNDE, o grupo conheceu os sucessos, desafios e inovações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que atende cerca de 41 milhões de estudantes.

Para o Chefe de Gabinete do FNDE, Rogério Lot, o intercâmbio entre esses países e o Brasil reafirma o trabalho que tem sido feito no âmbito do PNAE. “O programa tem servido de modelo para os que pretendem implantar uma sistemática de alimentação escolar parecida com a nossa. E o objetivo é que o PNAE seja esse parâmetro, mas que também permita adaptações às peculiaridades de cada nação”, afirmou Lot, lembrando que o Senegal já possui um programa na área e busca no modelo brasileiro métodos de fortalecimento da gestão e sustentabilidade das ações já desenvolvidas.

Em Serra Leoa a proposta é migrar do atual modelo de oferta de alimentação aos estudantes, atualmente apoiado pelo Programa Mundial de Alimentos e pelo Catholic Relief Services (CRS), para uma política nacional de alimentação escolar nos moldes do PNAE.

Entre os representantes das delegações que visitam o Brasil nesta semana estão o Ministro da Educação do Senegal, a Vice-Ministra de Educação Básica e Secundária e o Vice-Ministro da Saúde e Saneamento de Serra Leoa, acompanhados de demais líderes de governos dos dois países. Eles ainda participaram de reuniões com outras instituições públicas, como o Ministério da Saúde e a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead).

Fim do conteúdo da página