Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2006

Merenda escolar vai ganhar alimentos mais nutritivos

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE com informações do Ministério da Educação
  • Quarta, 04 Outubro 2006 00:00

ASCOM-FNDE (Brasília) - O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) vai mudar a lista de produtos básicos componentes da merenda escolar e assegurar uma alimentação de melhor qualidade para os estudantes. Para isso, será alterada a Resolução nº 15/2000, do FNDE, que trata do assunto, dando uma definição mais clara para a lista de alimentos e incluindo itens mais nutritivos, crus, frescos e semi-elaborados que possuem o mínimo de processamento industrial, como arroz, óleo e açúcar.

De acordo com a coordenadora técnica de alimentação e nutrição do programa, Carolina Martins, as normas do Pnae determinam que os municípios devem comprar 70% de produtos básicos para a composição da alimentação nas escolas, porém não há uma boa definição sobre quais são esses mantimentos. "Somente itens saudáveis integrarão a nova lista. Alimentos pobres em nutrientes, como biscoito recheado ou refrigerante, não poderão fazer parte desse gênero", conclui.

O grupo de trabalho responsável pela elaboração da lista inicia suas atividades na próxima sexta-feira, 6. Participarão pesquisadores, nutricionistas das cinco regiões do país, representantes do Ministério da Saúde e da indústria alimentícia.

Cardápios escolares - Outro grupo, que encerra suas atividades nesta quarta-feira, 4, voltou-se para a elaboração de referências nutricionais. Os técnicos listaram os alimentos de acordo com sua riqueza nutricional e valor calórico. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) vai apresentar conclusões obtidas para orientar nutricionistas e gestores na elaboração dos cardápios para as escolas públicas municipais.

Participaram da iniciativa a Associação Brasileira de Nutrição (Asbran), Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), a Coordenação-Geral de Políticas de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, as universidades federais de Viçosa (MG), de Brasília, da Paraíba e a equipe do Pnae.

Repórter: Juliana Meneses

Fim do conteúdo da página