Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Livro didático

Vencedora do prêmio Professores do Brasil apresenta projeto de poesia no Encontro do Livro em Salvador

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Quinta, 22 Março 2018 17:20
Vencedora do prêmio Professores do Brasil apresenta  projeto de poesia no Encontro do Livro em Salvador

Emocionada, professora de Brasília, contou como a poesia pode vencer o preconceito

Raquel Lima, uma das palestrantes convidadas do Encontro Nacional do Livro em Salvador, é formada em letras, cursa mestrado em psicologia e ministra aulas de língua portuguesa no Centro de Ensino Fundamental Gesner Teixeira, do Gama, Distrito Federal. Na manhã desta quinta-feira, 22, ela falou sobre a importância da literatura, da poesia e da aproximação desses temas do dia a dia dos alunos. Segundo ela, esta estratégia é essencial para despertá-los na percepção de seus próprios talentos, capacidades e, também, de suas “pequenas alegrias”. A palestrante também compartilhou a experiência de sua aluna Nathaly Victoria, semifinalista da Olímpiada da Língua Portuguesa de 2016, dona da história bem sucedida que lhe rendeu o prêmio Professores do Brasil em 2017.

Por consequência da proximidade da fronteira que divide os estados de Goiás e Distrito Federal, e por sua escola receber alunos das duas regiões nas mesmas turmas, a professora percebeu que alguns acabavam se sentindo menos capazes que outros, a depender da região em que moravam, e que, por vezes, esse comportamento se confundia com bullying. Na tentativa de trazer o debate sobre preconceito, respeito às diferenças, e sobre o orgulho que se deve ter de suas origens, a professora teve a ideia de começar a desenvolver o projeto: “No lugar onde eu vivo, há pequenas alegrias e tudo vira poesia”.

O Projeto era o seguinte: as crianças tinham que escrever poemas sobre aquilo que havia de bonito na sua cidade. Suas ruas, sua vizinhança, casas, famílias, amigos e qualquer outra coisa em que percebessem algo bom. E aí veio mais uma dificuldade. Eles não conseguiam extrair de seu cotidiano razões para escrever poesia, pois, segundo ela, eles diziam que em sua cidade não havia nada de bom.

Raquel resolveu então apresentar-lhes Carlos Drummond de Andrade, e seu poema “Cidadezinha Qualquer”, em que o autor faz uma narrativa de observação sobre o que há de mais simples ao seu redor, e conclui com uma expressão que os alunos acharam engraçada: “Eta vida besta, meu Deus”.

E foi este poema que motivou e inspirou a turma a escrever sobre as “pequenas alegrias” e suas observações simples. Foi criatividade de todo lado, rimas incontáveis e poemas cheios de doçura, realidade e simplicidade. Com engajamento e produções textuais melhores que o esperado, o trabalho de toda a turma rompeu as barreiras da sala de aula e foi apresentado num Sarau que reuniu toda a escola. Em seguida, foram inscritos na Olímpiada Brasileira da Língua Portuguesa – onde um dos projetos chegou à semifinal - e, por fim, resultou no prêmio para Raquel no final do ano passado.

Para a professora, este tipo de atuação cheia de esperança é que muda a vida dos alunos. “Quando um professor percebe que tem algo afetando seus alunos, ele não pode fechar os olhos. É preciso conversar, entender, e traçar estratégias para resolver o problema. Não vou dizer que não dá trabalho. Dá e muito! Mas quando vemos que o resultado do nosso esforço é a realização dos sonhos dos nossos alunos e, principalmente, a mudança de visão sobre seu potencial, resgate da auto estima e de sonhos, não há cansaço que nos vença”, contou a professora que foi aplaudida por todo auditório.

“Participar desse momento em que o Brasil inteiro está aqui reunido para tratar do Livro é mais uma prova de que todo esforço que a gente faz em sala de aula vale a pena. Acredito que não há caminho fora da Educação e nós, professores, somos os agentes que podem inspirar nossa juventude. Eu tomei meu lugar. Não fui eu quem escolheu a Educação, foi ela quem me escolheu”, concluiu Raquel, dizendo que está ansiosa para chegar na escola e inscrever seus alunos no Concurso Literário “Faça Parte dessa História” para, quem sabe mais uma vez, levar o prêmio pra casa.

Confira aqui a programação do 15º Encontro Técnico Nacional do PNLD.

Fim do conteúdo da página