Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Alimentação escolar

FNDE e Agência Brasileira de Cooperação trocam informações para a expansão de programas educacionais na América Latina e Caribe

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Sexta, 17 Janeiro 2020 12:00
FNDE e Agência Brasileira de Cooperação trocam informações para a expansão de programas educacionais na América Latina e Caribe

A presidente do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE), Karine Santos, recebeu na quarta-feira, 15, representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores (MRE). O objetivo do encontro foi discutir, aprimorar, e planejar a agenda da reunião do comitê diretivo a ser realizada em Santiago, capital do Chile, que vai tratar sobre o Projeto Regional para a Consolidação dos Programas de Alimentação Escolar na América Latina e no Caribe.

A iniciativa faz parte do acordo assinado entre o Governo do Brasil e FAO, com o propósito de promover o desenvolvimento, fortalecimento e a consolidação dos programas de alimentação escolar nesses países. Na reunião foram apresentados os progressos realizados até o momento e planejamento de novas atividades, que poderão ser desenvolvidas até maio de 2022.

A Presidente do FNDE, Karine Santos, reforçou a parceria e também avaliou a possibilidade de ampliar o esboço dos projetos internacionais. “ Precisamos trabalhar a educação como um todo, estender a parceria também para o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD), o Programa Caminho da Escola, e o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), para sermos exemplos de ações voltadas para o avanço da educação’’, afirmou.

Em 2019, a parceria com a FAO apoiou ações em mais de 10 países da América Latina e Caribe. Ao longo dos anos, 20 das 33 nações da região já foram beneficiadas no âmbito desta cooperação. Também no ano passado, a parceria com o Centro de Excelência Contra a Fome prestou assistência técnica a 17 países da África e da Ásia. Desde o início do acordo com o FNDE, 30 nações desses dois continentes foram favorecidas.

Fim do conteúdo da página