Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2005

Indígenas e quilombolas terão capacitação inédita

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE com informações do Ministério da Educação
  • Terça, 13 Setembro 2005 00:00

ASCOM-FNDE (Brasília) – Numa ação inédita de capacitação voltada especificamente para as populações indígenas e quilombolas, técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) visitarão, a partir deste mês, seis estados brasileiros com o objetivo de conscientizar os conselheiros e líderes dessas comunidades sobre a importância do controle social das políticas públicas na área educacional.

"Até pouco tempo, os alunos quilombolas recebiam, de alimentação escolar, o mesmo valor repassado aos matriculados na rede pública tradicional. A partir de maio, existe uma política de governo exclusiva, que contempla esses estudantes com um valor per capita/dia maior, de R$ 0,34, igual ao recebido pelos indígenas, além de capacitar as lideranças da comunidade e os professores", diz Albaneide Peixinho, coordenadora geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Segundo ela, nos encontros programados para este semestre, serão enfatizados os hábitos alimentares desses povos, identificando-se os alimentos mais nutritivos e os específicos da região.

Equipe interministerial – As capacitações serão feitas por uma equipe especial formada por técnicos do FNDE e da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do Ministério da Educação, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) da Presidência da República. Além de informações sobre a merenda escolar, os participantes receberão orientações a respeito dos programas de transporte escolar e Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

Os encontros ocorrerão no Pará, Bahia, Maranhão, Espírito Santo, Roraima e Goiás. O primeiro será em Belém, nos dias 22 e 23 de setembro, na Escola Municipal Benvinda de França Messias, localizada na Praça Floriano Peixoto, 805, no bairro São Brás. Participam desse evento, os municípios paraenses: Abaetetuba, Acará, Baião, Belém,Cachoeira do Piria, Capitão Poço, Colares, Ipixuna do Pará, Itupiranga, Jacunda, Moju, Santa Isabel do Pará e São Miguel do Guama.

Os seguintes estão marcados para Salvador, nos dias 4 e 5 de outubro; São Luís, de 16 a 18 de novembro; Vitória, 24 e 25 de novembro; Boa Vista, 8 e 9 de dezembro; e Goiânia, 15 e 16 de dezembro.

Merenda escolar – Para o Programa Nacional de Alimentação Escolar para Quilombolas (PNAQ), o FNDE dispõe de um orçamento de R$ 2.818.396,00. O valor per capita é de R$ 0,34 para atender 200 dias letivos. A primeira das sete parcelas a serem transferidas em 2005 foi depositada em maio. São beneficiários 41.447 alunos de creches, pré-escolar e do ensino fundamental das redes municipais e estaduais.

Ao todo, recebem recursos do Pnaq 110 municípios de 18 estados: Alagoas (6 municípios), Amapá (2), Bahia (8), Espírito Santo (6), Goiás (5), Maranhão (32), Mato Grosso do Sul (3), Mato Grosso (2), Minas Gerais (9), Pará (15), Paraíba (1), Pernambuco (3), Piauí (1), Rio Grande do Norte (8), Rio Grande do Sul (3), Rio de Janeiro (1), Sergipe (1) e São Paulo (4).

Já para o Programa Nacional de Alimentação Escolar para Indígenas (PNAI), o FNDE dispõe, este ano, de um orçamento de R$ 11.317.750,00. O recurso deve atender 133.150 alunos indígenas por 250 dias letivos. O FNDE repassa aos estudantes indígenas o mesmo valor enviado para os quilombolas.



Repórter: Lucy Cardoso

Fim do conteúdo da página