Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Programas do livro

Ato de escrever e conservação do livro são tema na Bienal do Rio

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Segunda, 14 Setembro 2009 00:00

ASCOM-FNDE (Rio de Janeiro) - Grande parte dos visitantes da 14ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro, estudantes e professores têm no estande do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), localizado no pavilhão verde do Riocentro, uma referência constante de informação e cultura. Na manhã de hoje, 14, as crianças participaram do encontro de leitura, com Edna Bueno, que contou passagens de um de seus quatro livros, Entre os Bambus . “A inspiração para escrever essa obra eu trouxe dos tempos de fazenda, ainda criança”, relata. A história aborda lembranças como o primeiro beijo, misturadas com muita imaginação e aventura. Segundo Edna, nem o bambuzal nem a linha do trem, marcos de sua infância, existem mais. Porém, nas páginas do livro, essas sensações “estão bem vivas”.

As experiências de Edna também serão partilhadas, agora, com Renata Carlos da Silva, de 8 anos. Aluna do 3º ano da escola municipal Juan Montalvo, ela ganhou um exemplar de brinde após o encontro, do qual participou ativamente com perguntas à autora. Indagada sobre o que achou do presente e de toda a grandiosidade da bienal, que visita pela primeira vez, ela respondeu com a objetividade de toda criança: “Legal!”, disse, radiante e aos pulos, cercada de amiguinhos tão curiosos como ela.

Conservação – A restauradora de livros Lilian Dias pegou o exemplo do consagrado Monteiro Lobato para mostrar, no início da tarde, a importância da conservação das obras literárias. De posse de duas edições do clássico Memórias da Emília , uma de 1959, em muito bom estado, e outra de 2009 – constante do catálogo do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), distribuído pelo FNDE às escolas públicas de ensino fundamental –, ela apresentou a palestra Como organizar e cuidar de sua biblioteca.

“Com a cultura atual do descartável, vamos perdendo o sentido da preservação, inclusive no que se refere aos livros”, lamenta Lilian. Para ela, cada livro carrega histórias do seu tempo e não merece ficar encostado em uma prateleira deteriorando-se. “Em um país com tantas carências como o nosso, o livro já nasce raro. A melhor maneira de conservá-lo é passá-lo adiante.” Ela explicou para a plateia formas simples e eficazes de cuidar dos livros, como evitar exposição ao sol ou à luz artificial, guardá-los em condições ideais de umidade e temperatura e não usar clips ou fitas adesivas.

Homem na Lua
- Na sequência da programação, Marco Manto Costa falou sobre a antologia Terras de Palavras, livro também distribuído pelo PNBE. Em um rápido bate-papo com os estudantes, ele contou o momento em que sentiu que queria ser escritor, quando, aos 9 anos, presenciou a chegada do homem na Lua. “Fiquei acordado a noite toda e o resultado foi uma redação que concorreu a prêmio até em Brasília”, afirma o autor, fã de Julio Verne.

Ainda hoje, os visitantes do estande do FNDE poderão participar da roda de leitura com Luiz Antonio Aguiar. Amanhã, 15, estarão presentes os escritores Affonso Romano de Sant´Anna e Alcione Araújo.

Estando do FNDE na Bieal construção de livros gigantes.
O estande do FNDE chama a atenção dos freqüentadores da Bienal pelos
“livros gigantes” usados na decoração

Conatadores de histórias narrando para as crianças.
Crianças divertem-se com os contadores de histórias:
programação diversificada atrai estudantes e professores

Mais informações sobre a 14ª Bienal do Livro em www.bienaldolivro.com.br.

Assessoria de Comunicação Social

Fim do conteúdo da página