Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2008

Timor Leste inicia projeto para melhorar merenda escolar

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE com informações do Ministério da Educação
  • Quarta, 31 Dezembro 2008 01:00

ASCOM-MEC(Brasília) - No início de 2009, técnicos do Ministério da Educação estarão no Timor Leste para dar início ao projeto-piloto de segurança alimentar e nutricional daquele país, que foi colônia portuguesa até 1975 e está situado numa ilha no Sudeste Asiático. A idéia é incentivar a produção local de hortaliças e verduras para serem utilizadas na merenda escolar. Como há pouco cultivo na ilha, basicamente todos os gêneros alimentícios são importados.

“A alimentação escolar é muito precária no Timor Leste. Não existe nutricionista, e a merenda é preparada por mães e voluntárias. As crianças comem basicamente arroz com furumungo, um tipo de feijão miudinho”, explica Fábio Vinícius Pires da Silva, consultor do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Em novembro, ele esteve no país, de um milhão de habitantes, para conhecer o sistema de merenda escolar. Arroz, feijão, macarrão e leite condensado industrializado são a base do cardápio nas 860 escolas públicas e nas 121 particulares, do primeiro ao sexto ano.

O Timor Leste é um país de população essencialmente jovem — cerca de 60% dos habitantes têm menos de 18 anos. Dos 280 mil alunos, só os que freqüentam os seis primeiros anos recebem a merenda na escola — muitas vezes, a única refeição do dia. Para 2009, o governo planeja oferecer a refeição até o nono ano. “A ocupação do país pela Indonésia, de 1975 a 1999, mudou os hábitos alimentares dos timorenses. Eles são cercados por mar, mas não comem peixe. A base da alimentação é o arroz”, explica Fábio.

Para se ter idéia da precária situação nutricional do país, 43% da população está inserida na faixa da insegurança alimentar, de acordo com o último censo no país, de 2004. Por isso, a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República, que também integra a missão brasileira de ajuda ao Timor Leste, planeja incentivar a piscicultura.

No começo do ano letivo de 2009, autoridades do Timor Leste responsáveis pelo programa da merenda devem visitar o Brasil para entender melhor o sistema nacional de alimentação escolar, que preserva no cardápio os hábitos regionais.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Fim do conteúdo da página