Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
Alimentação escolar

Conferência na Jamaica aponta alimentação escolar como principal estratégia de combate à fome

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Terça, 13 Março 2018 21:34
Conferência na Jamaica aponta alimentação escolar como principal estratégia de combate à fome

Evento, ocorrido na última semana, destacou o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) desenvolvido no Brasil

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do Fundo Nacional de Alimentação Escolar (FNDE), foi um dos destaques da 35ª Conferência da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), que ocorreu na última semana, em Montego Bay, na Jamaica. No evento, o Diretor-Geral da FAO, José Graziano da Silva, afirmou que as ações articuladas entre a agricultura familiar e os programas de alimentação escolar são as principais estratégias para reduzir a fome, problema que, de acordo com dados recentes, tem crescido no mundo.

A Conferência, que ocorreu entre os dias 5 e 9 de março, reuniu especialistas em Segurança Alimentar e Agricultura Familiar de diversas partes do mundo, além dos governos de 33 países, e representantes da sociedade civil, do setor privado e de organizações de direitos humanos. 

A Coordenadora Geral do PNAE, Karine Santos, representou o Brasil na conferência e agradeceu o reconhecimento que o programa tem recebido em eventos internacionais. “Em todos os painéis tem algum representante de outro país citando o PNAE e falando da importância da parceria com o governo brasileiro. É realmente gratificante usarmos nosso conhecimento para contribuir com o desenvolvimento de outras comunidades, por meio da alimentação escolar”, afirmou.

Karine também destacou a quantidade de informação em primeira mão que a Conferência oferece. “Recebemos muitas informações de pessoas envolvidas com os temas de Segurança Alimentar e Agricultura Familiar no mundo. São novos conceitos que estão sendo colocados, novas formas de olhar as mesmas políticas públicas. Certamente muito desse conteúdo será levado para discussão no PNAE”, destacou a coordenadora.

De acordo com dados da FAO, em 2016 já existiam 42 milhões de pessoas em estado de insegurança alimentar, 2 milhões a mais que no ano anterior, e as principais causas apontadas são as guerras, o fenômeno El Niño e a recessão econômica.

Como solução, a FAO propôs aos representantes dos 33 países presentes na Conferência uma renovação dos compromissos políticos, reforçando aos governos que a região da América Latina e Caribe produz alimentos suficientes para atender a toda a população. Os esforços deverão ser voltados, portanto, para a facilitação do acesso aos produtos.

Agricultura familiar – No Brasil, as resoluções do Programa Nacional de Alimentação Escolar determinam que pelo menos 30% dos recursos destinados para a execução sejam utilizados na compra de gêneros da Agricultura Familiar.

Dessa forma, o PNAE vem contribuindo com o fortalecimento da Agricultura Familiar e o desenvolvimento das economias das pequenas cidades, garantindo renda aos trabalhadores rurais e uma alimentação mais saudável para os estudantes.

Fim do conteúdo da página