Ir direto para menu de acessibilidade.

Breadcrumbs

Início do conteúdo da página
2006

CAE Virtual entra no ar em dezembro

  • Escrito por  Assessoria de Comunicação Social do FNDE
  • Sexta, 15 Dezembro 2006 01:00

ASCOM-FNDE (Brasília, 15.12.06) - Prefeitos e secretários estaduais de educação começam a receber esta semana correspondência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) informando as senhas de acesso ao CAE Virtual, sistema que estará disponível na página eletrônica da autarquia a partir do dia 20 de dezembro. Com esta ferramenta, estados e municípios poderão atualizar informações sobre os Conselhos de Alimentação Escolar (CAEs), que são responsáveis pela fiscalização dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

A partir deste mês, os gestores deverão cadastrar os conselhos primeiramente pela Internet, para depois enviar ao FNDE, via Correios, os documentos que compravam as informações prestadas pelo CAE Virtual. Além de agilizar a atualização de dados, o sistema também acusa possíveis erros cometidos no preenchimento dos formulários, como CPF de conselheiro incorreto, conselheiro irregularmente reconduzido ao cargo etc. Sem que sejam preenchidos corretamente os campos obrigatórios, como endereço dos conselheiros, os gestores não conseguirão terminar o cadastramento.

O sistema será aberto para cadastramento sempre que vencer o mandato do CAE do estado ou do município. Sem que isso ocorra, os gestores poderão usar a ferramenta apenas para consultar a situação legal dos conselhos: se o conselho está válido, se o mandato está vencido, se a documentação está em análise ou se está sendo diligenciado para apresentação de documentos.

O CAE Virtual também acusará o não cumprimento das diligências por parte dos gestores, o que pode ocasionar a suspensão do repasse dos recursos da alimentação escolar. “Na falta de documentos que comprovem as informações prestadas, o gestor é diligenciado três vezes e, ao final de 90 dias, caso a solicitação do FNDE não seja atendida, o estado ou município pode ficar sem os recursos do programa”, explica a coordenadora-geral do Pnae, Albaneide Peixinho.

Conselhos – O Conselho de Alimentação Escolar é um colegiado deliberativo e autônomo, composto por representantes do Executivo, do Legislativo e da sociedade, professores e pais de alunos, escolhidos para um mandato de dois anos, podendo ser reconduzidos por mais um mandato. O principal objetivo do CAE é fiscalizar a aplicação dos recursos transferidos e zelar pela qualidade dos produtos, desde a compra até a distribuição nas escolas, prestando sempre atenção à boas práticas sanitárias e de higiene.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) transfere a estados em município um valor per capita dia de R$ 0,22 para alunos de creches públicas e filantrópicas, da pré-escola e do ensino fundamental. Os estudantes de escolas indígenas e localizadas em áreas remanescentes de quilombos têm valor diferenciado, de R$ 0,44. Em 2006, o orçamento do Pnae foi de R$ 1,6 bilhão, transferido em dez parcelas, de fevereiro a novembro.

Assessoria de Comunicação Social do FNDE

Fim do conteúdo da página