Avaliação qualitativa dos cardápios planejados para os estudantes de creches atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar

  • Vanessa Manfre Garcia de Souza Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE, Brasil http://orcid.org/0000-0002-2946-6993
  • Solange Fernandes de Freitas Castro Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE, Brasil
Palavras-chave: alimentação escolar, creche, alimentos industrializados

Resumo

Trata-se de um estudo transversal descritivo, realizado nas cinco regiões brasileiras. Teve como objetivo avaliar qualitativamente os cardápios planejados para as creches atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE, a fim de monitorar a presença e a frequência dos grupos alimentares fornecidos para essa faixa etária. O problema que norteou a pesquisa foi: qual a frequência de alimentos não saudáveis presentes nos cardápios planejados para as creches atendidas pelo PNAE? Observou-se a presença positiva de alimentos in natura ou minimamente processados, com frequência média semanal considerável de frutas e, principalmente, de hortaliças no Brasil e em cada região. Entretanto, foi encontrada uma expressiva oferta de alimentos ultraprocessados, e a frequência de doces e de açúcar de adição também foi considerável.

 

Biografia do Autor

Vanessa Manfre Garcia de Souza, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE, Brasil

Nutricionista, Mestre em Ciências (Programa de Pós-graduação Nutrição em Saúde Pública) pela Faculdade de Saúde Pública da USP. Trabalhou na área de Alimentação Escolar na rede privada e, nos últimos anos, tem trabalhado como Agente do Programa Nacional de Alimentação Escolar no Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) e como consultora no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Áreas de atuação e interesse: nutrição em saúde pública; programas e políticas de alimentação e nutrição; educação alimentar e nutricional; alimentação escolar; segurança alimentar e nutricional; Docência

Solange Fernandes de Freitas Castro, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE, Brasil

Nutricionista, Mestre em Educação e Especialista em Planejamento Educacional e Políticas Públicas. Especialista em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais, servidora do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, lotada na Coordenação Geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar desde 2009 e no cargo de Coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional desde 2016

Referências

BEZERRA, A.S.; CORADI, F.B. Análise da alimentação oferecida para crianças em uma creche municipal do Rio Grande do Sul. Revista Contexto & Saúde, Rio Grande do Sul, v. 16, n. 31, p. 57, 2016.

BOAVENTURA, P. S; OLIVEIRA, A.C; COSTA, J.J; MOREIRA, P.V.P; MATIAS, A.C.G; SPINELLI, M.G.N;

ABREU, E.S. Qualitative evaluation of menus offered in primary schools in the metropolitan area of São Paulo. Demetra, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 397-409, 2013.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. 23 dez. 1996, p. 27833.

BRASIL. Ministério da Saúde. Pesquisa nacional de demografia e saúde da criança e da mulher 2006: Saúde e Estado Nutricional de Crianças Menores de Cinco Anos. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica; altera as Leis nos 10.880, de 9 de junho de 2004, 11.273, de 6 de fevereiro de 2006, 11.507, de 20 de julho de 2007; revoga dispositivos da Medida Provisória no 2.178-36, de 24 de agosto de 2001, e a Lei no 8.913, de 12 de julho de 1994; e dá outras providências. Diário Oficial da União. 17 jun. 2009. p. 2.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Dez passos para uma alimentação saudável: Guia alimentar para menores de 2 anos – um guia para o profissional da saúde na Atenção Básica. 2.ed. Brasília, DF, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução CD/FNDE nº 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 jun. 2013. Seção 1.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.

Guia alimentar para a população brasileira. 2 ed. Brasília, DF, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Portaria nº 629, de 3 de agosto de 2017. Aprova o Regimento Interno do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 07 de agosto de 2017. Seção 1, p.16.

BRASIL. Portal do Governo do Brasil. Educação e Ciência. Notícias: Mais de R$ 9 bilhões foram investidos em merenda saudável para escolas. 2018a. Disponível em: <http://www.brasil.gov. br/noticias/educacao-e-ciencia/2018/07/mais-de-r-9-bilhoes-foram-investidos-em-merenda- saudavel-para-escolas>. Acesso em: 17 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. A creche como promotora da amamentação e da alimentação adequada e saudável: livreto para os gestores [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018b.

CAMOZZI, A.B.Q; MONEGO, E.T; MENEZES, I.H.C.F; SILVA, P.O. Promoção da Alimentação

Saudável na Escola: realidade ou utopia? Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 32-7, 2015.

CANELLA, D.S; LEVY, R.B; MARTINS, A.P.B; CLARO, R.M; MOUBARAC, J; BARALDI, L.G; CANNON,

G; MONTEIRO, C.A. Ultra-Processed Food Products and Obesity in Brazilian Households (2008– 2009). PLOS ONE, v. 9, n. 3, e92752, 2014. Disponível em: <https://doi.org/10.1371/journal. pone.0092752>

CFN – Conselho Federal de Nutricionistas. Legislação. Pareceres. Parecer do CFN sobre a inclusão de café na merenda escolar. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://www.cfn.org. br/index.php/legislacao/pareceres/. Acesso em: 29 nov. 2018.

CORNWELL, B; VILLAMOR, E; MORA-PLAZAS, M; MARIN, C; MONTEIRO, C.A; BAYLIN, A.

Processed and ultra-processed foods are associated with lower-quality nutrient profiles in children from Colombia. Public Health Nutrition, Cambridge, v. 21, n. 1, p. 142–147, 2017.

DOMENE, S.M.A. A escola como ambiente de promoção da saúde e educação nutricional. Rev.

Psicologia USP, São Paulo, v.19, n. 4, p.505-517, 2008.

FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Programas. PNAE. Área para gestores. Notas técnicas: Nota Técnica nº 01/2014 - Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. 2014. Disponível em: < http://www.fnde.gov.br/programas/ pnae/pnae-area-para-gestores/pnae-notas-tecnicas-pareceres-relatorios>. Acesso em: 17 nov. 2018

FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Portal de Dados Abertos. 2018. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/dadosabertos/dataset?q=pnae>. Acesso em: 17 nov. 2018.

FREITAS, L.G; ESCOBAR, R.S; CORTÉS, M.A.P; FAUSTINO-SILVA, D.D. Consumo alimentar de

crianças com um ano de vida num serviço de atenção primária em saúde. Rev. Port. Saúde

Pública, Lisboa, v. 34, n. 1, p.46–52, 2016.

GABRIEL, C.G; SANTOS, M.V; VASCONCELOS, F.A.G. Avaliação de um programa para promoção de hábitos alimentares saudáveis em escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Rev. Bras. Saúde Materno Infantil, Recife, v. 8, n. 3, p. 299-308, 2008.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de Orçamentos

Familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro, 2010.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Brasil: panorama. População,

Rio de Janeiro, 2018.

JAIME, P.C; PRADO, R.R; MALTA, D.C. Influência familiar no consumo de bebidas açucaradas em crianças menores de dois anos. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 51, Supl 1:13s, 2017.

LEITE, F.H.M; CREMM. E.C; ABREU, D.S.C; OLIVEIRA, M.A; BUDD, N; MARTINS, P.A. Association

of neighbourhood food availability with the consumption of processed and ultra-processed food products by children in a city of Brazil: a multilevel analysis. Public Health Nutrition, Cambridge, V. 21, n. 1, p.189-200, 2017.

LOBSTEIN, T; JACKSON-LEACH, R; MOODIE, M.L; HALL, K.D.; GORTMAKER, S.L; SWINBURN,

B.A; JAMES, W.P; WANG, Y; MCPHERSON, K. Child and adolescent obesity: part of a bigger picture. The Lancet, v. 385, n. 86, p. 20–26, 2015.

LONGO-SILVA, G; TOLONI, M; RODRIGUES, S; ROCHA, A; TADDEI, J.A.A.C. Qualitative evaluation

of the menu and plate waste in public day care centers in São Paulo city, Brazil. Rev. Nutr.,

Campinas, v. 26, n. 2, p. 135-144, 2013.

MAIS, L.A; WARKENTIN, S; VEJA, J.B; LATORRE, M.R.D.O; CARNELL, S; TADDEI, J.A.A.C.

Sociodemographic, anthropometric and behavioural risk factors for ultra-processed food consumption in a sample of 2–9-year-olds in Brazil. Public Health Nutrition, Cambridge, v. 21, n. 1, p. 77–86, 2017.

MONTEIRO, C.A; LEVY, R.B; CLARO, R.M; CASTRO, I.R.R; CANNON, G. Increasing consumption

of ultra-processed foods and likely impact on human health: evidence from Brazil. Public

Health Nutrition, Cambridge, v. 14, n. 1, p. 5–13, 2010.

MONTEIRO, C. A; CANNON, G; LEVY, R; MOUBARAC, J; JAIME, P; MARTINS, A.P; CANELLA, D.; LOUZADA, M; PARRA, D; RICARDO, C; CALIXTO, G; MACHADO, P; MARTINS, C; MARTINEZ, E;

BARALDI, L; GARZILLO, J; SATTAMINI, I. NOVA. A estrela brilha. [Classificação dos alimentos. Saúde Pública]. World Nutrition, v. 7, n. 1-3: pág. 28-40, 2016.

MONTEIRO, C.A; MOUBARAC, J; LEVY, R.B; CANELLA, D. S; LOUZADA, M.L.C; CANNON, G.

Household availability of ultra-processed foods and obesityin nineteen European countries.

Public Health Nutrition, v. 21, n.1, p. 18–26, 2017.

PASSANHA, A. Consumo alimentar de crianças paulistas no segundo semestre de vida: pesquisa de prevalência de aleitamento materno em municípios brasileiros, 2008. Tese (Doutorado em Nutrição em Saúde Pública). Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

RAUBER, F; CAMPAGNOLO, P.D; HOFFMAN, D.J; VITOLO, M.R. Consumption of ultra-processed food products and its effects on children’s lipid profiles: A longitudinal study. Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases, v.25, n.1, p.116-122, 2015.

RELVAS, G.R.B; BUCCINI, G.S.; VENANCIO, S.I. Ultra-processed food consumption among infants in primary health care in a city of the metropolitan region of São Paulo, Brazil, 2018. J. Pediatr., Rio de Janeiro, 2018.

RETONDARIO, A; SILVA, D.L.F; ALVES, M.A.O; ALMEIDA, C.C.B; SCHMIDT, S.T; FERREIRA, S.M.R.

Oferta de sódio na alimentação em creches municipais: um risco à saúde. O Mundo da Saúde,

São Paulo, v. 39, n.1, p. 11-21, 2015.

SILVA, R.S.C; PASSOS, T.U. Adequação dos cardápios da alimentação escolar de creches segundo a pirâmide alimentar infantil. J. Health Biol Sci., v.6, n.3, p.273-278, 2018.

SBP - SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Notícias. A idade certa para oferecer suco às crianças. 2017. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/a-idade- certa-para-oferecer-suco-as-criancas/>. Acesso em: 29 nov. 2018.

SOUZA, C.A.N. Adequação nutricional e desperdício de alimentos em Centros de Educação Infantil de Maceió, AL. 2016. Dissertação (Mestrado em Nutrição). Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2016.

Publicado
2020-02-06